Página Inicial
Apresentação
Fale Conosco
Livro de visita
Galeria
Datas
Lição de Vida
Lista
Empresa
Orixás
Imagens
Velas Figuras
Variedades

Gratidão aos Caboclos


Não se ajoelhe somente perante seu guia ou para rezar
Se ajoelhe de corpo e mente para ajudar teu irmão
Que mora nas ruas, sem pão sem agasalhos,
Se ajoelhe para conversar, dando-lhe um pouco de atenção
Palavras pequenas repletas de emoção
Leve alegria eo amparo, nem que seja tão somente .. pois apenas para um irmão, certamente ele espera teu sorriso e tua atenção
Neste gesto espontaneo Onde mora o coração
Tú Rezas a melhor oração fazendo acender uma alegria, as luzes do coração
Teus guias e teus orixás se alegram de verdade pois, esta é a melhor OFERENDA ... Que se chama CARIDADE!



             

Tell a Friend

       


                                                               A verdadeira Sabedoria

Era uma vez um guerreiro, famoso por sua invencibilidade na guerra. Era um homem extremamente cruel e, por isso, temido por todos. Quando ele se aproximava de uma aldeia, os moradores saiam correndo para as montanhas, onde se escondiam do malvado guerreiro. Muitas aldeias subjugou.
Certo dia, alguém viu ele se aproximar com seu exército de uma pequena aldeia, onde viviam alguns agricultores e entre eles um velhinho, muito sábio. Quando o pessoal escutou uma terrível notícia da Aproximação do Guerreiro, Tratou de juntar o que podia e fugir para as montanhas Rapidamente. Só o velhinho ficou para trás. Ele já não podia fugir.
O guerreiro entrou na aldeia e foi cruel, incendiando as casas e matando alguns animais soltos pelas ruas. Até que chegou na casa do velhinho.
O velhinho, quando o viu se assustou. E sem piedade, foi dizendo ao velhinho que seus dias haviam chegado ao fim. Mas, que lhe concederia um último desejo, antes de passá-lo pelo fio de sua espada.
O velhinho pensou um pouco e pediu que o guerreiro fosse com ele até o bosque e ali lhe cortasse um galho de uma árvore. O guerreiro achou aquilo uma besteira.
- Esse velho Deve estar gagá. Que último desejo mais besta.
Mas, se esse era o último desejo do velhinho, havia que atende-lo.
E lá foi o guerreiro até o bosque e com um golpe de sua espada, cortou um galho de uma árvore.
- Muito bem! - Disse o velhinho - O senhor cortou o galho da árvore, agora, por favor, coloque esse galho na árvore outra vez.
O guerreiro deu uma grande gargalhada, dizendo que esse velho Deve estar louco, pois todo mundo sabe que isso já não é mais possível, colocar o galho cortado na árvore outra vez.
O velhinho então lhe respondeu: - Louco é você que pensa que tem poder só porque destrói as coisas e mata as pessoas que encontra pela frente. Quem só sabe destruir e matar, esse poder não tem. Poder tem aquela pessoa que sabe juntar, que sabe unir o que foi separado, que faz reviver o que parece morto. Essa pessoa tem verdadeiro poder.


                                 Cobrança indevida

Depois de um dia de caminhada pela mata, mestre e discípulo retornavam ao Casébre, seguindo por longa estrada.
Ao passarem próximo a uma moita de samambaia, ouviram um gemido.
Verificaram e descobriram um homem caído. Estava pálido e com uma grande mancha de sangue, próxima ao coração.
Tinha Sido ferido e já estava próximo da inconsciência.
Com muita dificuldade, mestre e discípulo o carregaram para o Casébre rústico, onde viviam. Lá trataram do Ferimento.
Uma semana depois, já restabelecido, o homem contou que havia assaltado Sido E que ao REAGIR fora ferido por uma faca.
Disse também que conhecia seu agressor, e que não descansaria enquanto não se vingasse.
Disposto a partir, o homem disse ao sábio:
- Senhor, muito lhe agradeço por ter salvado a minha vida. Tenho que partir e levo comigo uma gratidão por sua bondade. Vou ao encontro daquele que me atacou e vou fazer com que ele sinta a mesma dor que senti.
O mestre olhou fixo para o homem e disse:
- Vá e faça o que queres. Entretanto, devo informá-lo de que você me DEVE três mil moedas de ouro, como pagamento pelo tratamento que lhe fiz.
O homem ficou assustado e disse:
- Senhor, é muito dinheiro. Sou um trabalhador e não tenho como lhe pagar esse valor!
Com serenidade, Tornou a falar o sábio:
- Se não pode pagar pelo bem que recebeu, com que direito quer cobrar o mal que lhe fizeram?
O homem ficou confuso E o mestre concluiu:
- Antes de cobrar alguma coisa, procure saber quanto você deve. Não faça cobrança pelas coisas ruins que aconteçam em sua vida, pois a vida pode lhe cobrar tudo de bom que lhe ofereceu.

Reflexão:
Todos os dias somos aquinhoados com Centenas de bênçãos. A primeira, é a própria oportunidade de Tornar a abrir os olhos sem corpo físico.
Depois, uma oportunidade de encher os pulmões de ar. Ar que nos é dado pela Divindade.
A bênção do alimento que nos nutre o corpo. Alimento que extraímos generosa da terra, bastando que nela plantemos uma semente.
A bênção do trabalho que nos Permite o desenvolvimento das nossas habilidades, o progresso, uma aquisição de bens materiais que nos são Necessários.
Enfim, o digno sustento próprio e dos que nos Constituem responsabilidade.
A religião da bênção, que nos fortalece o espírito, dando-nos o conhecimento da Existência de um Deus Pai, que dirige os nossos destinos e guarda a nossa vida.
A bênção da família, dos amigos, dos colegas, dos animais de estimação.
Cada qual, a seu modo, com desconto nos, a cada dia, seu carinho, sua Devoção enriquecendo, como nossas horas.
Pense, enfim, nas bênçãos que todos os dias você recebe, sem esforço algum.
Você não precisa acender o Sol, nem pedir um Apareça que ele. Ele simplesmente vem e lhe calor da luz, vida.
Você NÃO NECESSITA Acionar algum botão para que o vento amigo se manifeste nos dias de ardência. Ele vem simplesmente.
Balança o Arvoredo, Borrascosas nuvens Espanca, limpa o céu e ainda brinca de desarrumar os seus cabelos.
Você não precisa suplicar ao botão para desabrochar. Ele arrebenta em perfume e colorido para o seu deleite.
Você não precisa suplicar aos pássaros que encham o dia de filhos. Eles aparecem e Brindam com seus ouvidos um Infinita Variedade de seus trinados e cantorias.
Por tudo isso pense, que direito você tem de tomar uma contas quem quer que seja, ruim por algo que lhe tenha feito, ante um débito tão grande para com uma divindade que tudo vê, provar, sem alguma Exigência.


                     Damos o que temos de Melhor

Um rico resolve presentear um pobre por seu aniversário e ironicamente manda preparar uma bandeja cheia de lixo e sujeiras.
Na presença de todos, manda entregar o presente, que é recebido com alegria pelo aniversariante, que gentilmente agradece e pede que lhe aguarde um instante, pois Gostaria de poder retribuir a gentileza.
Joga fora o lixo, lava e desinfeta uma bandeja, enche-a de flores, e devolve-a com um cartão, onde está a frase:
"A gente dá o que tem de melhor."

Reflexão:
Não perca sua serenidade.
A raiva faz mal à saúde, o rancor estraga o fígado, a mágoa envenena o coração. Domine suas reações emotivas. Seja dono de si mesmo.
Não jogue lenha no fogo de seu Aborrecimento. Esqueça e passe adiante, para não perder sua serenidade.
Não perca sua calma. Pense, antes de falar, e não ceda à sua impulsividade.
Guardar ressentimentos é como tomar veneno e esperar que outra pessoa morra.


                        

A lenda da serpente

Conta a lenda que uma vez uma serpente começou a perseguir um vaga-lume. Este, fugia rápido, com medo da feroz predadora, e a serpente nem pensava em desistir. Fugiu um dia e ela não desistia, dois dias e nada...

No terceiro dia, já sem forças, o vaga-lume parou e disse a serpente:
- Posso lhe fazer três perguntas?
- Não costumo abrir esse precedente a ninguém, mas já que vou te devorar mesmo, pode perguntar...
- Pertenço a sua cadeia alimentar?
- Não.
- Eu te fiz algum mal?
- Não
- Então, por que você quer acabar comigo?
- Porque não suporto ver você brilhar...

Moral da história
Têm pessoas que se dizem seu(a) amigo(a), mas o que eles querem mesmo é acabar
com o seu(a) sucesso.
-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Coragem

Diz uma antiga fábula que um camundongo vivia angustiado com medo do gato. Um mágico teve pena dele e o transformou em gato. 

Mas aí ele ficou com medo do cão, por isso o mágico o transformou em cão. 
Então, ele começou a temer a pantera e o mágico o transformou em pantera. 
Foi quando ele se encheu de medo do caçador. A essas alturas, o mágico desistiu. 
Transformou-o em camundongo novamente e disse: 
“Nada que eu faça por você vai ajudá-lo, porque você tem a coragem de um camundongo”. 
É preciso coragem para romper com o projeto que nos é imposto. Mas saiba que coragem não é a ausência do medo, e sim a capacidade de avançar apesar do medo.

Autor Desconhecido


Site Map